Casa / Melhores Práticas de TI / A abordagem de três partes de benchmarking de TI

A abordagem de três partes de benchmarking de TI

Em benchmarking de TI, processos errados de medição e análise podem gerar resultados sem sentido ou até errados. O estrategista John Parkinson uma vez trabalhou com um grupo de TI, que segundo seu benchmarking, era um dos grupos que tinha um dos melhores desempenhos de qualquer indústria. Em um artigo, Parkinson explica como um processo de três partes pode ser utilizado para fazer um benchmarking de qualquer peça de TI.

O Chief Information Officer (CIO) de uma empresa importante pediu a Parkinson para fazer o benchmarking de sua organização comparando com seus competidores. O maior desafio em fazer o benchmarking de uma empresa tão grande é que há poucas corporações que tenham um tamanho similar para poder fazer a comparação, e mesmo entre aquelas que têm o mesmo tamanho, elas podem ser de indústrias não relacionadas de maneira que uma comparação útil possa ser feita.

A solução que Parkinson encontrou foi uma estratégia de três partes. Primeiro, ele decidiu fazer um benchmark mais qualitativo de 20 corporações de tamanhos e formas similares,usando dados públicos. O propósito era desenvolver um “mapa” de várias dimensões que pudesse mostrar as similaridades e diferenças de outras empresas quando comparados ao grupo do CIO. Em segundo lugar, Parkinson observou 50 corporações de produtos e serviços que tivesse receita similar ao orçamento de TI que ele tinha. Depois, Parkinson fez o benchmark de cada parte interna da organização de TI do CIO contra outras áreas, para descobrir onde havia variabilidade na experiência do cliente. Aqui está a razão pela qual Parkinson acha sua estratégia tão eficaz:

Se desenhado corretamente, o benchmark pode ser usado periodicamente para monitorar os efeitos de programas de melhoria de processos…E porque os vários grupos que foram usados no benchmark foram todos de um único contexto organizacional [,] muitas das variáveis externas que fazem com que as comparações entre corporações sejam difíceis ou caras, não seriam fatores decisivos, ou poderiam ser mais controlados.

A estratégia realmente revelou visões valiosas para o CIO, que foram depois incorporadas ao seu planejamento estratégico.

Leia o artigo original (em inglês): http://ww2.cfo.com/it-value/2014/09/benchmarking-can-lead-astray/

Sobre John Friscia

John Friscia is the Editor of Computer Aid's Accelerating IT Success. He began working for Computer Aid, Inc. in 2013 and continues to provide graphic design support for AITS. He graduated summa cum laude from Shippensburg University with a B.A. in English.

veja também

90% of tech budgets will be outside IT departments

90% of tech budgets will be outside IT departments (Kabik, Matthew)

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *